<$BlogRSDURL$>

 

 

 

   

 
 

terra da alegria


 
 
timshel guia dos perplexos cibertúlia poesia distribuída na rua a bordo baixa autoridade
 
     

segunda-feira, janeiro 31

 

Uma nova era se inicia

NOTA: O texto seguinte é um excerto de documento publicado pela Comunidade Internacional Bahá’í, intitulado "Quem está a escrever o futuro?". Trata-se de uma reflexão sobre a evolução da humanidade ao longo do século XX à luz dos ensinamentos de Bahá'u'lláh. Devido a extensão do documento, este será publicado gradualmente. Os subtítulos, as frases a bold, e entre parentesis recto, assim como algumas notas são a minha responsabilidade.
--------------------------------------


UMA NOVA ERA QUE SE INICIA

Aquilo de que Bahá'u'lláh fala é de uma nova relação entre Deus e a humanidade, uma que se harmoniza com o alvorecer da maturidade da raça. A Realidade suprema, que criou e que sustém o universo, permanecerá, para sempre, inacessível à mente humana. A relação consciente da humanidade com ela, até ao ponto em que tal relação foi estabelecida, tem sido o resultado da influência dos Fundadores das grandes religiões: Moisés, Zoroastro, Buda, Jesus, Maomé e personagens mais recuadas, cujos nomes, na sua maioria, ficaram perdidos na memória dos tempos. Através da resposta a estes impulsos do Divino, os povos da terra desenvolveram, progressivamente, as capacidades espirituais, intelectuais e morais que contribuíram para civilizar o carácter humano. Este processo cumulativo, que durou milénios, atingiu agora um estádio característico de todos os pontos de viragem decisivos no processo evolutivo, quando possibilidades previamente impensáveis, de repente, emergiram: "Este é o Dia", afirma Bahá’u’lláh, "em que os mais excelentes favores de Deus manaram sobre os homens, o Dia em que a Sua graça suprema se infundiu em todas as coisas criadas." [1]



Vista através dos olhos de Bahá'u'lláh, a história das tribos, dos povos e das nações chegou, efectivamente, ao fim. Aquilo que estamos a testemunhar é o início da história da humanidade, a história de uma raça humana consciente da sua própria unicidade. A este ponto de viragem no rumo da civilização, os seus escritos trazem uma redefinição da natureza e dos processos de civilização, e um reordenamento das suas prioridades. O seu objectivo é chamar-nos de volta para a consciência e responsabilidades espirituais.

Nada nos escritos de Bahá’u’lláh encoraja a ilusão de que as mudanças visionadas se processarão facilmente. Muito pelo contrário. Tal como os eventos do séc. XX já demonstraram, padrões de hábitos e atitudes que se enraizaram durante milhares de anos não são abandonados nem espontaneamente, nem simplesmente como resposta à acção educativa ou legislativa. Quer na vida do indivíduo, quer na da sociedade, a mudança profunda ocorre mais frequentemente em resposta a um intenso sofrimento e a dificuldades insustentáveis, que não podem ser ultrapassadas de outro modo. Uma tal grande provação, avisou Bahá'u'lláh, é necessária para fundir os diversos povos da terra num único.

As concepções espirituais e materialistas da natureza da realidade são inconciliáveis e orientam-se em direcções opostas. Com o iniciar do século, o rumo aberto pela segunda destas duas perspectivas opostas já conduziu uma humanidade infeliz muito para lá de um ponto limite, onde uma ilusão de racionalidade, já para não falar do bem-estar humano, em tempos se podia manter. Com cada dia que passa, multiplicam-se os sinais de que, por todo o lado, grandes números de pessoas estão a despertar para esta constatação.

Apesar de uma opinião em contrário largamente prevalecente, a raça humana não é uma tábua rasa, na qual agentes privilegiados dos assuntos humanos podem livremente inscrever os seus próprios desejos. As fontes do espírito brotam onde querem e como querem. Não serão indefinidamente suprimidas pelos detritos da sociedade contemporânea. Já não é necessária uma visão profética para nos darmos conta de que os primeiros anos do novo século assistirão ao libertar de energias e aspirações infinitamente mais potentes do que as rotinas, falsidades e dependências acumuladas, que durante tanto tempo bloquearam a sua expressão.

Por mais tumultuoso que seja, o período para o qual a humanidade se está a mudar abrirá a cada indivíduo, a cada instituição e a cada comunidade da terra, oportunidades sem precedente de participar no escrever do futuro do planeta. "Em breve", é a promessa confiante de Bahá'u'lláh, "será a presente ordem posta de lado e uma nova se estenderá em seu lugar." [2]

---------------------------
NOTAS
[1] - Bahá'u'lláh, Selecção de Escritos de Bahá’u’lláh, IV
[2] - Bahá'u'lláh, Selecção de Escritos de Bahá’u’lláh, IV


Marco Oliveira [POVO DE BAHÁ]

sementes da terra
 
mail
 
 
anteriores
04.2004
05.2004
06.2004
07.2004
09.2004
10.2004
11.2004
12.2004
01.2005
02.2005
03.2005
04.2005
05.2005
06.2005
07.2005
08.2005
09.2005
10.2005
11.2005
12.2005
01.2006
02.2006
03.2006
04.2006
05.2006
06.2006
07.2006
08.2006
12.2006
 

 

 
 

terra da alegria. 2004.


 

This page is powered by Blogger. Isn't yours?